Presente para você!

Portuga:

O português arrumou um emprego de manobrista num restaurante. Logo chega o primeiro cliente e diz:
-O Celta preto…
-Tá sim, acho que vai choveire!

Essa é para advogado ou para quem odeia advogado:

Num certo dia depois do expediente dois amigos muito pobres iam embora pela rua, quando eles foram violentamente atropelados por um advogado.Um deles atravessou o pára-brisa do carro com a pancada, já o outro foi arremessado a dez metros do acidente.
Dois meses depois eles sairam do hospital e para a surpresa de todos,foram direto para a cadeia. Um por invasão de privacidade e o outro por evadir do local do acidente…

Loira namorando:

Uma loira (muito loira) está no carro com o namorado num namoro desenfreado.Aí ele pergunta:
– Não quer ir para o banco de trás?
– Para o banco de trás? Não.
Bom, o namoro lá continua, mais beijo, mais festa, mais aperto, mais amasso e…
– Não quer mesmo ir para o banco de trás? – diz ele ainda com mais vontade.
– Não, não quero.
O pobre rapaz já meio desnorteado, lá continua no beija-beija, esfrega-esfrega até que…
– Amorzinho, tem certeza de que não quer ir para o banco de trás? – já desesperado.
– Mas que coisa! Já te disse que não! Claro que não!
– Ah, mas porquê??
– Porque prefiro ficar aqui perto de você!!!

O Aleijado e o Cego:

Estavam os dois sentados na calçada, então o aleijado decide sacanear o cego dizendo:
-Cara! Olha q mulher gostosa!
responde o cego irritado:
-E pq vc ñ corre atras dela!

O cúmulo

O cúmulo da rapidez é fechar a gaveta, trancar e jogar a chave dentro.

O cúmulo do cúmulo é o mudo falar pro surdo que o cego viu o aleijado correr atrás do careca se descabelando

O cúmulo da preguiça é acordar 5:00 da manhã só para ficar mais tempo sem fazer nada.

O cúmulo da revolta é morar sozinho, fugir de casa e deixar um bilhete dizendo que não volta nunca mais.

Qual o cúmulo da burrice é olhar pela fechadura de uma porta de vidro!

O cúmulo da seca é a vaca dar leite em pó.

O cúmulo da pessoa baixa é sentar em uma moeda e ainda balançar as pernas.

O cúmulo da magreza é tomar banho de braços abertos para não escorregar no ralo.

O cúmulo do astronauta é reclamar de falta de espaço.

O cúmulo do azar é cair de costas e quebrar o nariz.

O cúmulo da força é apertar a moeda até a cara botar a língua pra fora.

O cúmulo da solidão é responder boa-noite para o apresentador do telejornal.

O cúmulo do absurdo é ver dois carecas brigando por um pente.

Espero que tenha esboçado pelo menos alguns sorrisos!

Anúncios