Armadilhas da Mente

Você já leu o livro “Inteligência Multifocal”, de Augusto Cury? É um livro de Ciência Aplicada. Se não leu, aproveite esse resumo, onde levarei você a determinadas reflexões e propostas que o autor nos faz. É um livro conciso e objetivo, valendo a pena o lerem por completo. Tenho certeza que algumas crenças limitantes se dissiparão em você e valores serão reforçados e/ou renovados.

Vamos lá?

Você sabia que nossa memória é seletiva? Ou seja, ela abre e fecha dependendo das emoções que vivenciamos. Se são emoções positivas, a memória se abre nos trazendo sensações, pensamentos coerentes e vivências positivas, criatividade, nos impulsionando à vida. No caso de emoções negativas, a memória se fecha, travando nossas ações, criando pensamentos repetitivos (idéias fixas), congestionando a mente (Síndrome do Pensamento Acelerado), fobias, medos, respostas agressivas, irracionais, baixa autoestima e acabamos por adoecer. E como “remediar”? Utilizando-se de uma visão Multifocal (vários ângulos) da sua realidade, através dos Códigos de Inteligência.

Um dos Códigos é a consciência de que nosso EU pode e deve ser o Gestor psíquico e administrador do nosso intelecto (o Líder da psique): você vai guiar seu próprio carro, programando seu próprio destino ou permanecerá no banco de passageiro (espectador passivo), sem ao menos saber para onde está indo? Você será um mero espectador sentado na plateia de sua mente, ou será um ágil ator?

Os Códigos da Inteligência são as habilidades e características que adquirimos conforme a experiência e maturidade de cada um. Ou seja: 1) a capacidade de se colocar no lugar do outro; 2) o da proteção da emoção, 3) a filtragem de estímulos estressantes, 4) o autocontrole, 5) o altruísmo, 6) a tolerância, 7) a inclusão, 8) a solidariedade, 9)a serenidade, 10) a coerência, 11) a ousadia, 12) a autocrítica,13) a criatividade.

Esses códigos transcendem a qualquer cultura, religião, classe e sexualidade humana.

Perguntas: você usa protetor solar e/ou óculos escuros para se proteger dos raios ultravioletas? E para proteger suas emoções e filtrar os lixos psíquicos a que somos impostos diariamente? Que tipo de proteção você usa?

Proposta: Torne-se Líder de sua Psique. Veja seus obstáculos por ângulos diferentes. Confronte, discorde e recicle seus pensamentos pessimistas. Lembre-se: toda a emoção advém do pensamento e este cria a sua realidade.

Tudo o que pensamos é fruto de um complexo sistema de interpretação. O processamento e armazenamento de cada estímulo que nosso cérebro recebe depende de diversas variáveis: emocional (como estamos), histórica (o que somos), social (onde estamos) e genética (nosso DNA). Ou seja, nossos pensamentos não são uma verdade pura, absoluta e concreta, mas são interpretativos. Dessa forma, ao nos tornarmos gestores/líderes de nossa psique temos o poder fantástico de mudar a interpretação que damos aos estímulos. Resultado: mudamos nossa realidade.

Gerenciar e liderar a própria mente requer muito exercício, muito treinamento, requer mudanças. E são estas que o tornarão mais humano – mais resiliente, maleável, solidário, sensível, compassivo, paciente.

Precisamos treinar, diariamente, dando um choque de lucidez na nossa capacidade de interpretar a vida e seus eventos. Precisamos impedir que os nossos buracos negros (armadilhas mentais), suguem toda nossa humanidade. Assim, deixe o conformismo e o coitadismo de lado e seja autor da sua própria história: olhe para a chuva e veja a oportunidade de cultivar. Assuma mais riscos, seja parceiro do entusiasmo e transforme suas derrotas em garras. Elimine as desculpas e use todo seu potencial em seu favor. Não apenas deseje essa mudança, mas a ambicione (lute incansavelmente até conseguir).

Não tenha medo de reconhecer os erros, pois é a partir da consciência deles que parte-se para a mudança. Assuma suas falhas e busque incansavelmente superá-las.

E, por fim, livre-se da última armadilha: o medo de correr riscos. Lembre-se: a nossa existência já é, por si mesma, um contrato de risco.

Livro maravilhoso, concorda?

Agora eu te pergunto:

Qual será o primeiro passo que você dará para ser líder de sua mente?

Contrate um Coach para te auxiliar nessa travessia. Ao final do processo, com certeza, terá adquirido muito mais  autoconhecimento e aprendido a se superar.

Anúncios

Decida se sentir grato e feliz!!!

1385890_684849591526308_1673496575_nMuitas vezes, quando tudo vai bem, não damos valor àquilo que já conquistamos.

Muitas vezes, acostumados com a maré tranquila, nos esquecemos de agradecer a calmaria e começamos, sem perceber, a alimentar situações pequenas que tornam-se monstros da desarmonia.

Percebi que o ser humano tem a incrível capacidade de fazer germinar aquilo que ele põe a mão e então vemos minúsculas desavenças se tornarem grandes árvores ou simples antipatias transformarem-se em desafiadoras convivências. Pergunto-me, então, por que não fazer florescer aquilo que é do bem, que agrega, que agrada? Por que alimentar o que não nos fortalece nem tão pouco impulsiona? Por que direcionar o olhar para coisas externas quando podemos olhar para dentro de nós e escolher a todo momento o queremos fazer crescer?

Venho notado que não treinamos a nossa visão e capacidade de escolha, algo parecido com a parábola que pergunta “qual lobo você vai alimentar”. Há pessoas que, quando tudo está bem, precisam encontrar algo do que se queixar, um ponto para reclamar. Há aquelas que acreditam que, por não expressarem seus sentimentos, não estão incentivando o crescimento do lado negativo de situações e relações. Também há quem se queixe por nada, por simples costume de atuar como vítima.

Em todas essas situações o resultado será nocivo. Nocivo para um relacionamento, um ambiente ou para si próprio. Quem vive na maré tranquila e precisa encontrar uma corrente turbulenta, deixa de aproveitar do magnífico poder da gratidão, força que transforma e que traz uma felicidade serena imensurável. Aqueles que não se expressam acreditando que dessa maneira não irão alimentar determinado ponto acabam por se intoxicar com as próprias palavras não ditas e alimentando da mesma forma aquilo que não as agrada – quando, enfim, tudo encontra uma válvula de escape para vir à tona, estragos maiores acontecem, tanto para quem diz quanto para quem ouve. E, aqueles que assumem o papel de vítima, vivem na mais venenosa das situações – com certeza, a função de ‘tadinho’ é completamente incompatível com o caminho da prosperidade e da alegria.

Se eu pudesse, desejaria que todos os seres humanos assumissem sua luz interna. Desejaria que todos ouvissem seus corações e soubessem olhar a vida com os olhos da alma, olhos sábios capazes de emanar gratidão e abençoar ao mesmo tempo. Desejaria encontrar um mundo onde as pessoas falassem o que pensam com amor em cada palavra e, por outro lado, os ouvintes fossem capazes de ouvir sem julgamentos e com compreensão.

Se a sua vida está boa, não deseje uma desgraça para dar valor a isso. Se algo lhe incomoda, por menor que seja o ponta, diga, converse, pontue – o ser humano não nasceu para ser uma panela de pressão. E, se a sua vida não está boa, entenda de uma vez que ser o ‘coitado’ não vai muda-la e que receber a energia de ‘dó’ dos outros é completamente prejudicial à saúde do corpo e da alma, ou seja, mude você mesmo aquilo que deseja mudar e agrade a si mesmo antes de agradar o próximo.

Por uma vida mais leve, onde ser feliz é uma questão de escolha.

Amor, luz e consciência. Sempre.

Cíntia Michepud

*Sabedoria Universal