Onde foi que perdemos nossa Espontaneidade…

 

tumblr_lbsc9zcf9g1qzqjwoo1_500

Por que não podemos (ou não conseguimos) exteriorizar nossos sentimentos mais nobres e genuínos de maneira espontânea? Por que não nos permitimos ser quem realmente somos, expressando o que a alma quer dizer? O texto de Rubia A. Dantés nos auxilia nesse importante reflexão. Boa leitura!

“Recentemente me encantei com a forma que uma criança, de mais ou menos seis meses, expressou-se ao ver uma pessoa que gostava. Mostrou alegria e contentamento com tanta espontaneidade que era visível o entusiasmo que estava sentido por ver aquela pessoa… e fazia tudo para demonstrar isso na forma que podia… mexendo os bracinhos… sorrindo… e dentro da sua linguagem, fazendo os sons que mostravam claramente sua alegria.

Pensei em quantos de nós, depois de adultos, ainda se manifesta espontaneamente sempre que a presença de alguém ou de alguma coisa nos toca sinceramente o coração.

Somos sujeitos a tantas regras de comportamento… tantas memórias de dor por termos exposto nosso sentimentos com verdade… que quase sempre, essa manifestação espontânea de apreço,de admiração, passa primeiro pelos muitos filtros e, no final, o que sobra pode ser só um cumprimento polido…

Todos querem nos colocar regras para que possamos nos inserir dentro da sociedade… dos grupos… das religiões… e, com isso, não cabemos mais em nós mesmos… Vamos nos encolhendo daqui… acrescentando ali… para nos adaptar as muitas exigências que fazem para nos incluir nisso… ou naquilo…

Parece que temos que aprender como nos comportar para sermos aceitos como membros dos muitos grupos que andam por aí… só que esse padrão leva em conta regras estabelecidas por outros… E podem podar a espontaneidade e a nossa expressão mais genuína.

Sempre julgamos o outro a partir do nosso limitadíssimo ponto de vista, cujo exemplo somos nós mesmos…. Se alguém faz coisas que fogem ao nosso altíssimo padrão de exigência de como as pessoas devem ser, já excluímos ou taxamos de inadequado.

Por que não observar o outro?… Assim como observamos uma criança… e mesmo que sua ação fuja aos nossos padrões de normalidade, tentar ver a beleza que existe nas diferenças.

Quanto mais aceitamos o outro, mais aceitamos a nós mesmos porque o outro sempre está também dentro de nós.

Que limites estamos julgando estar sendo ultrapassados? Quem colocou esses limites leva em conta o controle ou a fidelidade à Alma? Vamos seguindo cegamente… tantas coisas… sem nem questionar o que estamos seguindo e quem criou essas regras..

Elas são mesmo o que nos toca o coração ou estamos sendo seguidores cegos de pessoas e ideias que não levam em conta a espontaneidade de cada um… o expressar-se com a Alma.

Voltando à criança… como seria bom se ao invés de ensinar a elas o que é feio e o que é bonito, de acordo com as muitas regras duvidosas que aprendemos, tivéssemos o cuidado de não podar o que elas têm de mais puro… tivéssemos o cuidado de não colocar artificialidade e imitação, no lugar da espontaneidade e da alegria natural… de quem se expressa com a inocência… de quem ainda se lembra das estrelas…”

Aloha

Claudia Michepud Rizzo

*http://sabedoriauniversal.wordpress.com

O “Ser Mulher” após a chegada dos filhos!

Amadas mulheres!

Sim, lembrem-se que vocês continuam a ser mulheres! Não são apenas: mãe, esposa e profissional (do lar, da empresa, liberal, etc.)

Antes de todos esse PAPÉIS: são mulheres, com seus desejos, frustrações, hormônios, pensamentos, emoções e espiritualidade. Somos complexas e simples ao mesmo tempo e, algumas vezes, nem nós mesmas nos entendemos e nem sabemos lidar com nós mesmas. E o engraçado é que essa cômica confusão interior é que faz de nós seres tão fortes e frágeis, femininas, mas felinas, delicadas, mas sensuais, poderosas, mas doces. Por todas essas características somos desejadas e amadas.

Porém, quantas de nós, após termos filhos, nos esquecemos de continuarmos a sermos essas mulheres fantásticas, cheias de sonhos, de amor próprio? Quantas deixamos de investir na nossa feminilidade? E, simplesmente por esquecermos de sermos quem realmente somos, surgem as frustrações internas. Auto cobranças e culpa são palavras que assombram muitas de nós.

Mas há solução! Sim! Se eu consegui, com um passo de cada vez, fechar as arestas que precisavam, em cada área da minha vida, você também pode. E estou aqui para facilitar sua caminhada e o encontro com você mesma, poupando-lhe de dores desnecessárias. Por que não andar direto pela rua B, que é segura, quando uma mulher que já andou pela rua A diz que nesta tem buracos, alertando que você poderá cair e se machucar?

Que tal começar despertando sua tigresa interior? Aquela mulher adormecida e, talvez, ainda não descoberta, mas que está dentro de você: poderosa, forte, guerreira e bela!

Começarei com algumas dicas simples para você voltar a ter autoconfiança, elemento essencial para se sentir uma mulher tigresa: (talvez algumas até já conheçam algumas das dicas, mas praticam?)

1) faça um exercício físico por 30 minutos diários: faça algo que realmente sinta prazer, para que permaneça e não desista em pouco tempo. Sugestões: caminhar, andar de bicicleta, aulas de jazz ou dança do ventre (já fiz esta e realmente é um dos melhores exercícios para elevar a auto estima). Leve a sério como se fosse seu remédio para pressão alta ou depressão. Até porque exercício evita a tristeza e melhora a libido (;-))

2) se produza: mesmo que fique em casa, passe um blush e um batom, pelo menos. Se você se olhar no espelho e estiver produzida (roupa, maquiagem e cabelo – vale até um rabo de cavalo lateral, que te deixará jovial), tem 98% de chance de se achar linda! E essa certeza interior (amor próprio) é transmitida aos outros e você não passará despercebida.

3) use sempre uma lingerie sexy: hoje existem lingeries sexys e confortáveis; você não precisa usar aquelas calcinhas da época da vovó. E danem-se as celulites: elas existem em TODAS as mulheres e o melhor a fazer para não sofrermos é gostar delas. Isso mesmo! Ame até mesmo suas celulites, pois são suas, te pertencem! Em outro post falarei mais sobre esse assunto.

4) coloque, agora, em um papel, cinco qualidades que você admira em você mesma! Pode ser: faço pipoca doce como ninguém; ou, amo meu nariz; ou, adoro o dedo mindinho do meu pé; sou apaixonada pela minha unha encravada… Se encontrar mais qualidades escreva-as! Aqui tudo vale, só você vai ler o papel, então arrebenta, mulher!

5) durante um minuto (não mais que isso), todos os dias: sente-se em posição de meditação, feche os olhos, respire profundamente 3 vezes e, com um lindo e largo sorriso nos lábios (o sorriso libera endorfina no cérebro, imediatamente, causando sensação de bem-estar), só perceba sua respiração (se vierem pensamentos, agradeça sua mente e volte sua atenção na respiração)! Coloque um alarme para tocar para que você não passe de um minuto. Fazendo isso todos os dias, você vai criar uma âncora de bem-estar maravilhosa e, se alguma coisa acontecer naquele dia que te deixe chateada, o simples fato de você se sentar, respirar e sorrir, vai ativar automaticamente em seu cérebro ondas de alegria e bem-estar. Vai por mim, isso super funciona!!

6) Você é casada? Tem um namorado? Sim! Não? Uma vez por mês, faça um jantar especial. Nem que seja para você mesma! Deixe as crianças na vizinha, na mãe ou sogra. Ele (se existe) pode te ajudar na cozinha se você não gostar de cozinhar. É até mais divertido. Imagina o cenário: você apenas de lingerie, ou com uma roupinha sensual, vocês abrem um vinho, colocam uma música que gostem pra tocar, enquanto cozinham…mas só vale partir para o sexo após o jantar. Isso deixa qualquer homem, doidinho. E você vai se divertir muito!

7) Divirta-se: isso mesmo! Faça algo que você goste muito! Se dê prazer! Nada mais chato que uma mulher reclamona que, por não fazer nada por si mesma, quer ver os outros frustrados igualmente. O que você realmente sente prazer em fazer, que não faz há muito tempo? Já experimentou colocar uma música na sala e dançar até suar? Já comprou um livro de piadas? (esses dias eu estava lendo o meu, enquanto esperava em um consultório médico – contagiei todo mundo – acabamos todos rindo, conversando e saíram todos mais felizes dali). E que tal pular de paraquedas? Muito radical? E fazer aula de piano ou teclado? Que tal aprender a patinar, a fotografar, a pintar quadros, patch work? Usem a imaginação que Deus lhes deu, amadas!! Criatividade! Nascemos com ela!!!

8) Treine sua mente com pensamentos positivos: difícil no início. Mas é como andar de bicicleta: depois que você pega o jeito, vai embora! Somos seres adestráveis como os cães! Sim! Então, se você treinou sua mente para só pensar no lado ruim das coisas, a maior parte do tempo, que tal condicioná-lo a só pensar no lado positivo? É POSSÍVEL!!! Sou a prova viva disso!!! Quando vier pensamento ruim (e eles virão), mude seu foco para algo bom. Aos poucos você verá que sua mente fará isso automaticamente por você. Mas seja persistente! Vale mega a pena!!

9) Tenha fé! Sem fé não há vontade de viver. Como caminhar sem acreditar em nada? Em nós mesmos? No lugar onde trabalhamos? Na família que construímos? Em que você acredita? Em que tem fé? Trabalhe sua fé e sua auto confiança aumentará a cada dia! Ore, medite, tome um banho nua de cachoeira, ande descalça sobre a grama ou na areia da praia, se reenergize, aumente sua fé na vida!!

10) Adquira autoconhecimento: esse é o melhor investimento que pode fazer por você! Se conhecer melhor! Invista em você! Não em plástica e Botox (pode até fazer isso depois, se achar necessário!) Mas, como o milho da pipoca: invista em seu interior primeiro. Pode parece piegas, mas é muito real! Só quem faz isso sabe o poder que nos é concedido. O auto conhecimento ilumina sua mente de tal maneira, que você nunca mais conseguirá ser a mesma. Será melhor, sempre! É uma transformação que tem início dentro de você e, portanto, só depende de você mesma para germinar e crescer! É algo que te dará base sólida, estrutura e você será como o bambu chinês: demora muito para crescer (5 anos), pois primeiro cria muitas e muitas raízes fortes, mas quando cresce é o mais flexível e forte! O vento forte bate, mas o bambu não quebra, pois suas raízes firmes lhe permitem curvar seu tronco até o chão e voltar a sua majestade anterior.

Esperam que realmente aproveitem as dicas, são simples, mas funcionais, e são presentes do meu coração para todas vocês! Meu trabalho é esse: despertar a melhor versão de vocês!!