O “Ser Mulher” após a chegada dos filhos!

Amadas mulheres!

Sim, lembrem-se que vocês continuam a ser mulheres! Não são apenas: mãe, esposa e profissional (do lar, da empresa, liberal, etc.)

Antes de todos esse PAPÉIS: são mulheres, com seus desejos, frustrações, hormônios, pensamentos, emoções e espiritualidade. Somos complexas e simples ao mesmo tempo e, algumas vezes, nem nós mesmas nos entendemos e nem sabemos lidar com nós mesmas. E o engraçado é que essa cômica confusão interior é que faz de nós seres tão fortes e frágeis, femininas, mas felinas, delicadas, mas sensuais, poderosas, mas doces. Por todas essas características somos desejadas e amadas.

Porém, quantas de nós, após termos filhos, nos esquecemos de continuarmos a sermos essas mulheres fantásticas, cheias de sonhos, de amor próprio? Quantas deixamos de investir na nossa feminilidade? E, simplesmente por esquecermos de sermos quem realmente somos, surgem as frustrações internas. Auto cobranças e culpa são palavras que assombram muitas de nós.

Mas há solução! Sim! Se eu consegui, com um passo de cada vez, fechar as arestas que precisavam, em cada área da minha vida, você também pode. E estou aqui para facilitar sua caminhada e o encontro com você mesma, poupando-lhe de dores desnecessárias. Por que não andar direto pela rua B, que é segura, quando uma mulher que já andou pela rua A diz que nesta tem buracos, alertando que você poderá cair e se machucar?

Que tal começar despertando sua tigresa interior? Aquela mulher adormecida e, talvez, ainda não descoberta, mas que está dentro de você: poderosa, forte, guerreira e bela!

Começarei com algumas dicas simples para você voltar a ter autoconfiança, elemento essencial para se sentir uma mulher tigresa: (talvez algumas até já conheçam algumas das dicas, mas praticam?)

1) faça um exercício físico por 30 minutos diários: faça algo que realmente sinta prazer, para que permaneça e não desista em pouco tempo. Sugestões: caminhar, andar de bicicleta, aulas de jazz ou dança do ventre (já fiz esta e realmente é um dos melhores exercícios para elevar a auto estima). Leve a sério como se fosse seu remédio para pressão alta ou depressão. Até porque exercício evita a tristeza e melhora a libido (;-))

2) se produza: mesmo que fique em casa, passe um blush e um batom, pelo menos. Se você se olhar no espelho e estiver produzida (roupa, maquiagem e cabelo – vale até um rabo de cavalo lateral, que te deixará jovial), tem 98% de chance de se achar linda! E essa certeza interior (amor próprio) é transmitida aos outros e você não passará despercebida.

3) use sempre uma lingerie sexy: hoje existem lingeries sexys e confortáveis; você não precisa usar aquelas calcinhas da época da vovó. E danem-se as celulites: elas existem em TODAS as mulheres e o melhor a fazer para não sofrermos é gostar delas. Isso mesmo! Ame até mesmo suas celulites, pois são suas, te pertencem! Em outro post falarei mais sobre esse assunto.

4) coloque, agora, em um papel, cinco qualidades que você admira em você mesma! Pode ser: faço pipoca doce como ninguém; ou, amo meu nariz; ou, adoro o dedo mindinho do meu pé; sou apaixonada pela minha unha encravada… Se encontrar mais qualidades escreva-as! Aqui tudo vale, só você vai ler o papel, então arrebenta, mulher!

5) durante um minuto (não mais que isso), todos os dias: sente-se em posição de meditação, feche os olhos, respire profundamente 3 vezes e, com um lindo e largo sorriso nos lábios (o sorriso libera endorfina no cérebro, imediatamente, causando sensação de bem-estar), só perceba sua respiração (se vierem pensamentos, agradeça sua mente e volte sua atenção na respiração)! Coloque um alarme para tocar para que você não passe de um minuto. Fazendo isso todos os dias, você vai criar uma âncora de bem-estar maravilhosa e, se alguma coisa acontecer naquele dia que te deixe chateada, o simples fato de você se sentar, respirar e sorrir, vai ativar automaticamente em seu cérebro ondas de alegria e bem-estar. Vai por mim, isso super funciona!!

6) Você é casada? Tem um namorado? Sim! Não? Uma vez por mês, faça um jantar especial. Nem que seja para você mesma! Deixe as crianças na vizinha, na mãe ou sogra. Ele (se existe) pode te ajudar na cozinha se você não gostar de cozinhar. É até mais divertido. Imagina o cenário: você apenas de lingerie, ou com uma roupinha sensual, vocês abrem um vinho, colocam uma música que gostem pra tocar, enquanto cozinham…mas só vale partir para o sexo após o jantar. Isso deixa qualquer homem, doidinho. E você vai se divertir muito!

7) Divirta-se: isso mesmo! Faça algo que você goste muito! Se dê prazer! Nada mais chato que uma mulher reclamona que, por não fazer nada por si mesma, quer ver os outros frustrados igualmente. O que você realmente sente prazer em fazer, que não faz há muito tempo? Já experimentou colocar uma música na sala e dançar até suar? Já comprou um livro de piadas? (esses dias eu estava lendo o meu, enquanto esperava em um consultório médico – contagiei todo mundo – acabamos todos rindo, conversando e saíram todos mais felizes dali). E que tal pular de paraquedas? Muito radical? E fazer aula de piano ou teclado? Que tal aprender a patinar, a fotografar, a pintar quadros, patch work? Usem a imaginação que Deus lhes deu, amadas!! Criatividade! Nascemos com ela!!!

8) Treine sua mente com pensamentos positivos: difícil no início. Mas é como andar de bicicleta: depois que você pega o jeito, vai embora! Somos seres adestráveis como os cães! Sim! Então, se você treinou sua mente para só pensar no lado ruim das coisas, a maior parte do tempo, que tal condicioná-lo a só pensar no lado positivo? É POSSÍVEL!!! Sou a prova viva disso!!! Quando vier pensamento ruim (e eles virão), mude seu foco para algo bom. Aos poucos você verá que sua mente fará isso automaticamente por você. Mas seja persistente! Vale mega a pena!!

9) Tenha fé! Sem fé não há vontade de viver. Como caminhar sem acreditar em nada? Em nós mesmos? No lugar onde trabalhamos? Na família que construímos? Em que você acredita? Em que tem fé? Trabalhe sua fé e sua auto confiança aumentará a cada dia! Ore, medite, tome um banho nua de cachoeira, ande descalça sobre a grama ou na areia da praia, se reenergize, aumente sua fé na vida!!

10) Adquira autoconhecimento: esse é o melhor investimento que pode fazer por você! Se conhecer melhor! Invista em você! Não em plástica e Botox (pode até fazer isso depois, se achar necessário!) Mas, como o milho da pipoca: invista em seu interior primeiro. Pode parece piegas, mas é muito real! Só quem faz isso sabe o poder que nos é concedido. O auto conhecimento ilumina sua mente de tal maneira, que você nunca mais conseguirá ser a mesma. Será melhor, sempre! É uma transformação que tem início dentro de você e, portanto, só depende de você mesma para germinar e crescer! É algo que te dará base sólida, estrutura e você será como o bambu chinês: demora muito para crescer (5 anos), pois primeiro cria muitas e muitas raízes fortes, mas quando cresce é o mais flexível e forte! O vento forte bate, mas o bambu não quebra, pois suas raízes firmes lhe permitem curvar seu tronco até o chão e voltar a sua majestade anterior.

Esperam que realmente aproveitem as dicas, são simples, mas funcionais, e são presentes do meu coração para todas vocês! Meu trabalho é esse: despertar a melhor versão de vocês!!

Indico o Livro: “Amar ou Depender?” de Walter Riso

Assim como as substâncias químicas, existem relações amorosas que são tóxicas e que viciam. Reconhecer o limite entre o amor e a dependência afetiva, entretanto, nem sempre é fácil. Em Amar ou depender?, o psicólogo Walter Riso, autor de obras que venderam cerca de 2 milhões de exemplares em todo o mundo, mostra os principais problemas atrelados ao apego excessivo e ensina que a cura não só existe como está ao alcance de todos. Neste exato momento, milhares de pessoas encontram-se presas em relações amorosas inadequadas, por motivos que vão desde a insegurança até o medo do abandono. Sofre-se muito por amor: existem maneiras opressivas de amar e relações problemáticas que podem até tornar-se perigosas. Em Amar ou depender? – primeiro livro de Walter Riso lançado no Brasil – o autor propõe uma verdadeira aula de auto-estima e comprova que é possível desvencilhar-se das ataduras psicológicas, ser independente e continuar amando. Com a experiência de ter estado em contato com vítimas do amor doentio e de casos estudados durante vinte anos de exercício profissional, o autor usa a premissa de que amar somente se justifica quando podemos fazê-lo de forma tranqüila e com liberdade. Especialista em terapia cognitiva, Riso traduz conceitos científicos para uma linguagem simples, clara e direta, fazendo de Amar ou depender? um guia para os primeiros passos em direção a uma vida amorosa saudável. Ao final do livro, são apontados exercícios práticos para desligar-se de uma vez por todas de um relacionamento doentio e estratégias para se iniciar uma vida nova sem dependência afetiva. Para todos os que acreditam que é possível amar sem prejudicar seu amor-próprio e fazer da paixão uma experiência plena, proveitosa e feliz.

http://www.felipevieira.com.br/Site/MostraConteudo/MostraConteudo.asp?cntId=18440